Dudu

Dudu

 

Novo método de impressão 3D pode acelerar pequenas produções como edições limitadas

Herzogenaurach / Nova York – A Adidas lançou nesta sexta-feira um tênis com a sola feita em impressora 3D, em uma preparação para que o produto entre em escala de produção em massa no ano que vem. O anúncio é parte de estratégia da companhia alemã de reagir mais rapidamente às mudanças na moda e criar mais produtos personalizados.

A Adidas já permite que os clientes escolham a cor e estampa de calçados encomendados online, mas o novo método de impressão 3D pode acelerar pequenas produções como edições limitadas, e mesmo projetar solas projetadas especificamente para suportar o peso de uma pessoa.

Rivais como Nike, Under Armour e New Balance também estão experimentando a impressão 3D, mas até agora têm usado a tecnologia apenas na produção de protótipos, calçados personalizados para atletas patrocinados e produtos de alto valor.

Isso porque as impressoras 3D convencionais são mais lentas, mais caras e frequentemente criam produtos de qualidade inferior que os equipamentos de injeção de plástico, usados atualmente para produção de centenas de milhões de calçados por ano, principalmente na Ásia.

Segundo a Adidas, a nova parceria com a Carbon, empresa iniciante de tecnologia do Vale do Silício, permitirá superar muitas dificuldades na produção da sola, tornando o método um possível concorrente do sistema tradicional de injeção de plástico.

“Isto é um marco não apenas para nós como companhia, mas para toda a indústria”, disse Gerd Manz, diretor de inovação da Adidas, no lançamento do “Futurecraft 4D”.

A Carbon, financiada por empresas de investimento de risco como Sequoia Capital e também por General Eletric e Alphabet, foi pioneira na tecnologia que imprime com uma resina de polímero sensível à luz e que depois é aquecida para ganhar resistência.

Impressoras 3D fazem produtos por meio da sobreposição da camadas de pó de plástico, um método usado pela Hewlett Packard, que está trabalhando com a Nike e afirma que seus novos equipamentos funcionam 10 vezes mais rápido e pela metade do preço do custo de modelos anteriores.

A Adidas espera vender 5 mil pares do Futurecraft 4D este ano e 100 mil no próximo ano, com a redução no tempo de impressão de solas de uma hora e meia para menos de 20 minutos por sola. Os calçados serão vendidos por um preço premium ainda não especificado, mas a Adidas planeja reduzir os custos com o desenvolvimento da tecnologia.

No ano passado, a Adidas vendeu algumas centenas de pares de tênis de corrida com solados produzidos em impressoras 3D comuns por 333 dólares cada.

A consultoria Wohlers Associates, especializada em impressão 3D, estima que a indústria vai mais que quadruplicar as vendas para 26 bilhões de dólares em 2022, guiada principalmente por encomendas do setor automotivo, de saúde, dentário e de jóias.

Solange Solón Borges, Agência Indusnet Fiesp 

O Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) realizou uma nova pesquisa Rumos da Indústria Paulista.  O foco agora foi a percepção empresarial a respeito da reforma trabalhista proposta pelo governo federal. Foram entrevistados representantes de 495 indústrias, sendo 312 micro e pequenas.

Entre os resultados, 77% avaliam que as mudanças propostas trarão maior segurança jurídica. Para 40,8% haverá melhora do ambiente de negócios. Entre os que acreditam que pode haver incentivo para a geração de empregos, é estimado um aumento de até 5% do quadro de pessoal para 24,2% dos entrevistados. Outros  33,4% apontam de 5 a 10% de aumento no quadro de pessoal, sendo que essa percepção é maior no universo das grandes empresas: 42,9% do total.

Esta pesquisa tem como objetivo avaliar as expectativas pontuais das empresas quanto aos seus negócios e a economia.

O levantamento é realizado com cerca de 500 indústrias paulistas sobre temas que possam ser foco de interesse no momento da coleta.

Para levantamento das informações é elaborado um questionário com perguntas qualitativas de auto-preenchimento. O link para coleta das informações via internet é enviado por e-mail a todos os participantes.

Os resultados são tabulados e divulgados de forma agregada.

Lembramos que, a FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo tem larga experiência em elaboração de indicadores industriais, e como de praxe se compromete com o sigilo dos resultados individuais coletados.

Para visualizar ou baixar a publicação em seu computador, acesse o menu ao lado.

 

Marca lançada há 10 anos no mercado revela a força e a graça da mulher.

A ZATZ buscou no melhor da moda mundial inspiração para materializar os desejos femininos. Prova disso é a sua nova coleção primavera-verão, que vem para inspirar e satisfazer as mulheres modernas e ousadas.

Com mais de 30 anos de experiência, a Indústria de Calçados Ala, localizada em Santa Catarina, atua no mercado brasileiro e internacional com as marcas ALA e ZATZ, exportando para mais de 30 países. A arte de fazer sapatos é fruto da tradição que veio de pai para filho. A empresa é hoje uma das maiores indústrias do setor.

As coleções são contemporâneas, inspiradas na linguagem comportamental da moda e do consumidor, materializando produtos que formam conceitos e revelam a força, as atitudes e os desejos femininos.

Conhecida mundialmente como a top das tops, Gisele Bündchen também é exemplo de mãe que inspira inúmeras mulheres pelo mundo. Por isso, ela foi escolhida para fazer a campanha de "Dia das Mães", da grife de calçados Arezzo. Gisele foi fotografada em Nova Iorque pela dupla Luigi & Lango e dirigida por Giovanni Bianco, em fotos que apresentam as principais apostas da marca em sapatos e bolsas para a data especial.

A nova coleção apresenta diversos tipos de acessórios - bolsas estruturadas, botas, scarpin, oxford com plataforma, entre outros - com elementos florais e bordados, mixando a delicadeza destes detalhes com a modernidade dos shapes. Além disso, a Arezzo traz releituras de alguns de seus best sellers como os scarpins clássicos e as sapatilhas, mas em novas cores e materiais.

A coleção já está em todas as lojas do Brasil.

 

 

 

Abicalçados apresenta Maratona MUDE para estudantes na FeevaleAbicalçados apresenta Maratona MUDE para estudantes na FeevaleAbicalçados apresenta Maratona MUDE para estudantes na Feevale

A Universidade Feevale, em Novo Hamburgo/RS, foi palco para uma apresentação da Maratona MUDE, ministrada pelo gestor de Projetos da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Cristian Schlindwein. O encontro, ocorrido ontem (25), contou ainda com apresentações das equipes vencedoras das batalhas de 2014 e 2016, de representantes da Feevale e do Museu Nacional do Calçado. 

A coordenadora do Museu Nacional do Calçado, onde estão expostos os protótipos vencedores das batalhas criativas da Maratona MUDE, Francine Silveira Tavares, contou a história do museu. Criado em 1998 e aberto ao público um ano depois, o local, que fica no Campus I da Feevale, tem o objetivo de preservar a memória do setor calçadista brasileiro. “Temos exposições fixas, como o Hall da Fama, que reúne doações de pessoas famosas, como Ronaldinho Gaúcho, Gustavo Kuerten e Zélia Gatai, e também as temporárias, caso da Maratona MUDE”, explicou, ressaltando a importância do apoio da Abicalçados para o projeto.

Na sequência, Schlindwein apresentou a entidade calçadista, especialmente os quatro pilares de atuação: Representação setorial; Promoção Comercial e de Imagem; Defesa Comercial; e Desenvolvimento. “O Design tem ganhado cada vez mais força na entidade, especialmente porque entendemos que é um dos grandes desafios do setor”, destacou. Segundo o gestor, a Abicalçados vem trabalhando insistentemente para “educar” o setor na formação de uma nova cultura, que tenha o Design como um pilar essencial na criação de novos produtos e modelos de negócios. “A Maratona MUDE é um dos eventos que tem esse viés, estimulando o surgimento de novos talentos e a discussão do Design no setor calçadista”, acrescentou. 

 

Maratona MUDE

Schlindwein também contou um pouco da história da Maratona MUDE, que teve sua primeira edição realizada em 2014 e hoje é um evento consolidado no cenário calçadista brasileiro. “A Maratona MUDE surgiu porque nós sempre acreditamos nos criativos brasileiros e queríamos estimular o Design para a criação de uma nova indústria para o setor”, comentou. 

Vencedora da Maratona MUDE 2016, a equipe composta por Rômulo Henrique da Silva, William Raí da Luz, Paula Raquel da Silva Flores e André Cézar Gossler, apresentou os produtos criados e também os desafios encontrados durante a batalha criativa do ano passado. “Criamos três protótipos de calçados, sem gênero, que unissem a polifonia e brasilidade, quebrando preconceitos e esteriótipos”, recordou Rômulo.

A coleção criada pela equipe é uma espécie de linha do tempo, que mostra uma sociedade reprimida por preconceitos e falta de expressividade, com amarras e metais escondidos no primeiro modelo. Já no segundo modelo começam a aparecer os metais e os cadarços passam a afrouxar. O terceiro modelo é totalmente liberto, sem amarras e com os metais totalmente expostos. “Tivemos alguns desafios, especialmente no início, quando tínhamos muitas ideias e precisávamos ter um foco. O Dudu Bertholini, mentor da batalha, nos ajudou muito a encontrar um foco para a coleção. Na hora poderíamos ter desistido, partido para outro conceito, mas seguimos com a ideia, o que se mostrou acertado. A lição que fica é que não devemos desistir no primeiro obstáculo”, disse Rômulo. 

Paula, da mesma equipe, contou que colheu frutos importantes da participação na Maratona MUDE, especialmente através da parceria e amizade criada com Dudu Bertholini. Trabalhando na indústria calçadista há mais de 16 anos, Paula foi chamada pelo estilista para criar os calçados do staff do programa Amor & Sexo, sucesso da Rede Globo. 

Okoko&Abel

Cria da primeira edição da Maratona MUDE, em 2014, a marca Okoko&Abel foi apresentada pelos sócios Ana Sabi, Cícero Ibeiro e Vinícius Kniphoff. Apresentando os calçados criados na época, “quando não tínhamos experiência alguma com calçados” – lembrou Vinícius -, os criadores destacaram o amadurecimento da marca, o apoio do estilista Lino Villaventura – mentor da batalha daquele ano – e da Abicalçados. “Após a Maratona, em 2015, criamos a marca Okoko&Abel e já fomos chamados pelo Lino Villaventura para produzir seus calçados que desfilariam no São Paulo Fashion Week. Na época, sem experiência na produção, ficamos apavorados, pois tínhamos que produzir 100 pares em dois meses”, recordou Vinícius, ressaltando que apesar de todo o receio o desafio foi concluído com sucesso. “Já 2016 foi um ano de correr atrás de fornecedores e atelieres que entendessem a nossa proposta, de produção por demanda, sem desperdícios e com muita inovação”, contou.  

Atualmente a marca Okoko&Abel está comercializando a sua primeira coleção por meio do site www.okokoabel.com. 

O encontro com estudantes ainda contou com uma apresentação do Projeto Prever, do Centro de Design da Feevale, evento que tem o objetivo de difundir estudos de moda realizados por alunos e professores da Universidade para o mercado. A exposição foi ministrada pela professora Emanuele Biolo Magnus. 

 

Entenda

- A Maratona MUDE consiste numa batalha criativa de 24 horas ininterruptas, em que equipes formadas por designers são desafiadas a criar, desenhar e produzir três protótipos de calçados a partir de um tema proposto pelo evento. Além da batalha, a Maratona dispõe de uma programação especial de palestras, oficinas, exposição, materioteca e interações criativas.

 - A Mostra Maratona MUDE – Um novo olhar para os calçados pode ser conferida até 6 de maio, no Museu Nacional do Calçado, localizado no Câmpus I da Universidade Feevale (Av. Dr. Maurício Cardoso, 510, Novo Hamburgo/RS). A visita é gratuita e acontece de segunda a sexta-feira, das 14h às 18h e das 19h às 22h, e aos sábados, das 9h às 12h.

 

Fonte Abicalcados

 

 

 

 

 

 

Sebrae RS e IBB oferecem oficinas gratuitas para micro e pequenos empresasSebrae RS e IBB oferecem oficinas gratuitas para micro e pequenos empresasSebrae RS e IBB oferecem oficinas gratuitas para micro e pequenos empresas

Vender mais e com qualidade. Isso é o que qualquer empresário deseja e para isso todos os detalhes são importantes. Pensando nisso o IBB - Instituto By Brasil e o Sebrae RS promovem, em Novo Hamburgo/RS, o projeto “Circuito de Oficinas Venda Mai$ com o IBB”, para micro e pequenos empresários.

Realizado em parceria com o Sebrae RS, os encontros têm como objetivo auxiliar esses empresários a alavancarem suas vendas através de oficinas que tratam dos mais variados temas relacionados ao negócio. A ideia é mostrar para o empresário que dicas simples e pequenas ideias colocadas em prática podem trazer um grande resultado para a empresa. As oficinas têm duração média 2h e acontecem na sede da Assintecal (Rua Júlio de Castilhos, 526, centro de Novo Hamburgo).

A iniciativa também traz a possibilidade do participante estar em contato direto com o consultor e outros empresários, tornando um encontro dinâmico e diferenciado, proporcionando a reunião de vários especialistas em um mesmo espaço - induzindo o empresário a buscar soluções e a equacionar o seu problema e abrindo perspectivas de melhoria e de inovação para a empresa; 

 

Confira a programação:

03 de maio:

Tema: Venda mais e aumente a sua clientela com a ajuda das redes sociais (facebook e instagram)

Palestrante: Saul Scheid: consultor publicitário com 15 anos de experiência em branding, marketing e vendas. Especialista em tornar pequenos em grandes negócios. Possui vasto conhecimento em negócio e estratégia, agregando ao cliente valor e posicionamento das marcas no mercado.

 

10 de maio

Tema: O consumidor de hoje mudou e você precisa mudar também -  Aprenda os principais hábitos de consumo e saiba como alavancar o seu negócio. 

Palestrante: Melissa Walzer Sant’ana - Expertise nas áreas de criação, desenho, comercial, pesquisa e desenvolvimento de novos produtos tem coleções apresentadas e comercializadas em importantes feiras no Brasil, EUA e Itália. Seu trabalho traz a comunhão da criação e da pesquisa e comprova que ser comercial não impede em ser conceitual.

16 de maio

Tema: Use a venda On-line a seu favor. Aprenda como vender e faturar mais vendendo pela Internet. 

Palestrante: Caren Thoen: profissional  com ampla vivência na área de Marketing e Comunicação possui atuação como gerente de marketing e comunicação na área de indústria, comércio e serviços. Destaca-se também sua atuação na área de branding, estratégia empresarial, comunicação coorporativa, endomarketing e marketing digital.

 

 Fonte: Assessoria de imprensa IBB

 

 

 

Entidades ligadas ao setor calçadista receberam uma ótima notícia da senadora Ana Amélia Lemos (PP/RS) durante palestra-almoço, promovida hoje, 5 de maio, na Sociedade Ginástica, em Novo Hamburgo/RS. Durante o evento, a senadora destacou que encaminhou emenda à MP 774, para que seja mantida a desoneração da folha de pagamento para os setores de têxteis, de móveis e calçadista, que, desde 2012, em virtude de medida no escopo do Plano Brasil Maior, pagavam parte do faturamento bruto em substituição à alíquota de 20% sobre a folha de pagamento.
 
Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), a medida trouxe mais competitividade para o setor calçadista, que hoje paga uma alíquota de 1,5% sobre o faturamento – a MP do Governo Federal, publicada no final de março, acabaria com a desoneração a partir de 30 de junho. “O momento em que o Governo Federal encaminhou a MP 774 foi inoportuno. Com 14 milhões de desempregados, não podemos aumentar esse contingente onerando setores intensivos em mão de obra, caso dos inclusos na emenda”, explicou Ana Amélia, ressaltando que a “reoneração” prejudicaria a competitividade no mercado doméstico e também além-fronteiras, em função do aumento dos preços.
 
Medidas
A senadora gaúcha destacou, ainda, que o Governo Federal tem se esforçado para trazer uma maior segurança a investidores e trabalhadores, por meio da regulamentação da terceirização e a modernização da legislação trabalhista. “As configurações de trabalho mudaram e é preciso que a legislação seja adaptada aos novos tempos. A Reforma não tira direitos básicos dos trabalhadores, está na Constituição, direitos como férias, 13º salário, seguro-desemprego, entre outros, seguem inegociáveis. Nós não podemos conceber que, em tempos atuais, patrões e empregados não possam sentar em uma mesa e conversar”, comentou Ana Amélia.
 
O evento foi uma realização conjunta daAbicalçados, Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos para os Setores do Couro, Calçados e Afins (Abrameq), Associação das Indústrias de Curtumes do Rio Grande do Sul (AICSul) e Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI NH/CB/EV). 

 

Fonte: Abicalcado

08 May 2017

Em noite de festa para o setor calçadista nacional, a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) reconheceu as melhores práticas do segmento nas categorias Gestão Industrial, Marketing, Design, Sustentabilidade e Internacionalização. A quinta edição do Prêmio Direções foi entregue ontem (27), no Espaço TAO, em Novo Hamburgo/RS. 

Além das premiações, a cerimônia fez referência às comemorações de 34 anos da Abicalçados, completados no último dia 20 de abril. O presidente do Conselho Deliberativo da entidade, Rosnei da Silva, ressaltou a importância do reconhecimento das melhores práticas do segmento. “Estamos muito satisfeitos com as práticas aqui reconhecidas, o que demonstra que estamos conseguindo cumprir, com excelência, o papel de estimular o setor calçadista por meio dessas referências”, disse.  

A premiação reconheceu um total de nove cases, com premiações por porte da empresa, além da melhor matéria sobre o setor escrita ao longo de 2016. 

Na oportunidade, os ganhadores receberam Troféu 5º Prêmio Direções e permissão para uso do selo da respectiva edição. Terão ainda divulgação nos canais de comunicação da entidade, como hotsite específico do Prêmio que será lançado em breve, e promoção em universidades, escolas, congressos e seminários realizados pela associação ao longo do ano.

 O Prêmio Direções foi uma ação da Abicalçados patrocinada pela Braspress, Couromoda e Francal Feiras.

 

Vencedores

Categoria Marketing

Porte: micro/pequeno - Empresa: Ghetz Exportadora e Importadora Ltda. 

Case: Inserção de marca no Reino Unido

 

Porte: grande/médio - Empresa: Bischoff Creative Group Eireli 

Case: Reposicionamento da marca Loucos & Santos

 

Categoria Internacionalização

Porte: micro/pequeno - Empresa: CIAO MAO ACESSORIOS E COM LTDA ME 

Case: Internacionalização da marca

 

Porte: grande/médio - Empresa: Calçados Bibi Ltda. 

Case:  Expansão da Bibi no Golfo Pérsico

 

Categoria Gestão Industrial

Porte: grande/médio - Empresa: KIDY BIRIGUI CALÇADOS IND. E COM .LTDA. 

Case: Programação por eficiência

 

Categoria Design

Porte: micro/pequeno - Empresa: Usthemp Indústria e Comércio de Calçados e Confecções Eireli

Case: Usthemp Co-Creation

 

Porte: grande/médio - Empresa: KIDY BIRIGUI CALÇADOS IND. E COM .LTDA. 

Case: Tênis Kidy Dragon´s Game

 

Categoria Sustentabilidade

Porte: micro/pequeno - Empresa: Insecta Shoes Artigos de Comercio LTDA 

Case: Polinizando o mundo com cor e consciência

 

Porte: grande/médio - Empresa: Usaflex Indústria S\A

Case: Diversidade, respeito e valorização humana

 

Categoria Jornalista

Jornalista: Nicolle Frapiccini com a matéria “Para acabar com o medo de exportar”

A Empresa

Entre em contato conosco:

E-mail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Rua Rangel Pestana, 23 Centro
Jaú - São Paulo - Brasil
Fone: (14) 3625-4489
Facebook
Skype: bigdesignerjau

Pés famosos ou não